Não seja normal, seja feliz!

A gente precisa entender que não dar pra ser mulher e ainda ser normal!
Começo pelas considerações:  esclareço logo, não sou normal.
Ai ai , é sempre o mesmo dilema ser normal, ser certinha, ser boa mãe,  boa esposa, boa filha . ...
Mas você já tentou ser feliz ??
Ser normal cansa, sufoca, assassina, imagina se o mundo fosse regrado de pessoas normais?
Os mesmos anseios, as mesmas ideias, os mesmos devaneios,  que seria de nós?  Estaríamos convictos de que a rotina seria de fato rotina.
No mínimo entraríamos em colapso, enlouqueceriamos, presos a impossibilidade de não ser, não ser louca, animada, excêntrica, exótica, só ser normal.
Mas demos o braço a torcer, no fundo,  no mais fundo, essa mesma afirmativa todas nós já fizemos." Eu só queria ser uma mulher normal ", dessas belas, recatadas e do lar rss, mas mal sei a diferença entre o coentro e a salsinha, dirá,  bem que eu queria , está convicta de que a casa vai estar sempre impecável,  de que tudo será como planejado, de que eu sei o que faço e como faço.
Mas não é o caso , a insegurança,  o medo, o desgaste, as frustrações, estou longe de ser normal,  uma mistura  de confusões, de pensamentos,  de explosões,  sou "toda errada".
Bem longe de ser, boa dona de casa, boa mãe,  boa mulher, boa, muito longe de ser boa, o boa nesse caso é tolo, bobo e cá entre nós sem a menor graça.
Não creiam também que não tenho minhas inúmeras qualidades, minhas considerações, claro minhas muitíssimas considerações a mim mesma. Admito, compactuo com o pouco do normal,  bem pouco uma pitada no máximo,  pra não perder o equilíbrio, admito os bons costumes,  a moral, o bom caráter e que jamais, iria contra ele, contra mim, mas não distingo quem vai, se vai que vai com vontade,  com coragem,  só não me volte sem a certeza de que não foi porque não era normal.
Passei do tempo de ser mulher normal,  passei do tempo de tentar ser, cheguei no tempo de ser ! Mulher, feliz, confiante, forte.
Cheguei no tempo de entender que eu assim como tantas outras mulheres não tenho vocação ao normal, se é que há alguma que tem.
Tentamos,  e tentamos esse ser normal,  achamos que assim seremos felizes, pois assim outros gostaram de nós, concluímos que: somos esse ciclo imperfeito dentro de nós, que tentamos alternar com a vida puxada que levamos,  dos inúmeros cargos que ocupamos,  das enumeras tarefas que alcançarmos,  do tempo que adquirimos,  dessa vida que levamos,  tentando nós entender, como é de fato ser mulher normal, e nós certificamos que é melhor  ser inteira, por dentro, por fora, normal, ou incomum, certinha ou destrambelhada, romântica ou durona, ser você mesmo, com todos os defeitos e ser feliz!

2 comentários:

  1. Adorei seu blog... :) SE interessar em conhecer o meu é blogluanaborges.blogspot.com ok.....E
    Ganhou mais uma seguidora ameiiiiiiii..

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ;)